Impedimentos para a prática do Tantra

  • Crenças limitantes.
  • Julgamentos e sistemas pré-estabelecidos da mente.
  • O medo restritivo, a falta de abertura, a falta de confiança.
  • Os condicionamentos filosóficos e religiosos.
  • A culpa, a timidez e a vergonha a respeito de si mesmo e dos outros.
  • Doenças infecto-contagiosas e DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis).
  • Desculpas esfarrapadas para não perceber a si mesmo e o mundo em que vive. Exemplos: “ainda não estou preparado”, “ainda não é o momento”, “não tenho dinheiro para isso”, “é um investimento muito alto”, “isso tudo é bobagem”, “eu não preciso deste tipo de coisa”. Entre outras argumentações parecidas.
  • Ciúmes e possessividade.
  • Os julgamentos rígidos tais como críticas, condenações e avaliações excessivas.
  • Ansiedade por resultados imediatos.
  • Falsas expectativas com relação ao Tantra.
  • Homens ou mulheres “grudentos”, excessivamente invasivos.
  • Ter uma atitude sexual nos trabalhos, aproveitando-se da fragilidade das(dos) parceiras(os). (Anna, aqui há um propósito em colocarmos o feminino antes, tendo em vista que isso acontece muito mais em detrimento das mulheres).
  • Usar álcool ou drogas durante o trabalho. Até mesmo o consumo de cigarro deve ser evitado.

Quais são as atitudes positivas para a prática do Tantra?

  • Respeitar os coordenadores, assistentes do trabalho e demais participantes.
  • Apresentar-se nos horários estabelecidos para a retomada das meditações. Ser pontual.
  • Auxiliar na limpeza e na organização dos espaços comuns.
  • Usar vestimentas adequadas para as dinâmicas.
  • Comprometer-se com o seu desenvolvimento pessoal. Muitas vezes há um(a) parceiro(a) que tem interesse em prosseguir o desenvolvimento com você. É importante que você exponha o seu interesse pelo prosseguimento do trabalho.
  • Relacione-se com as pessoas, interagindo e compartilhando com a troca de amizades.
  • Saiba colocar limites, expressando as coisas como você gosta ou não gosta. Este é um dos maiores aprendizados no Tantra: saber impor os seus limites.
  • O Tantra é a liberdade de expressão, é comunicação. Comunique-se claramente com relação aos seus propósitos ou insatisfações.
Anúncios