Para Idosos

O potencial humano para o prazer sexual se inicia até mesmo antes do nascimento, na vida intra-uterina e não se extingue com a velhice como muitos parecem acreditar. O componente biológico da sexualidade vai se modificando e se alterando com o passar dos anos, afetando a intensidade e a qualidade da resposta sexual. Os efeitos da idade acabam se manifestando no aspecto físico e psicológico de cada pessoa, fazendo com que as suas respostas sexuais sejam comprometidas.

Homens e mulheres, após os cinquenta anos, se vêem afetados pela idéia negativa da “Andropausa/Menopausa”, acreditando que seu histórico sexual está irremediavelmente comprometido, tornando-se irritáveis, deprimidos, paranóicos, doentes. Muitos não sabem como encontrar um caminho de suporte e apoio terapêutico que os auxilie a ultrapassar essa fase de transformações hormonais extremamente afetável.

Os componentes da resposta sexual impactam de forma diferente as pessoas, sendo que o orgasmo masculino é o mais vulnerável e suscetível aos efeitos do envelhecimento. É cientificamente comprovado que a idade não tem efeitos análogos sobre as mulheres, que permanecem capazes de reações orgásticas múltiplas, durante toda a vida.

Este resultado negativo que ocorre com os homens como uma consequência da flacidez excessiva dos músculos ejaculadores, que ficam incapazes de atuar no reflexo ejaculatório. Na mulher, a hipotonia (baixo tônus muscular) afeta principalmente os músculos do clitóris e os intra-vaginais, criando situações dolorosas e excessivamente sensíveis, ressecamentos e outros problemas ligados à baixa emoliência no interior dos músculos. A detumescência (falta de fluidificação adequada) causa inúmeros transtornos na aplicação da energia sexual, para homens e mulheres. Consequentemente, o impulso sexual entra em declínio, afetando o interesse pelo sexo.

A recuperação do tônus dos músculos sexuais em homens e mulheres, através de manobras mecânicas especialmente elaboradas para essa finalidade, tem demonstrado um aumento imediato na resposta sexual, que proporciona a recuperação dos estímulos e a reativação das respostas sexuais. A falta dos estímulos sexuais adequados, após os 50 anos, compromete a produção e a liberação de andrógenos.

Andrógeno é o termo genérico para qualquer composto, natural ou sintético, geralmente um hormônio esteróide, que estimula ou controla o desenvolvimento e manutenção das características masculinas em vertebrados ao ligar-se a receptores andrógenos. Isso inclui a atividade dos órgãos sexuais masculinos acessórios e o desenvolvimento de características sexuais secundárias masculinas. Os andrógenos, descobertos em 1936, também são chamados de hormônios androgênicos ou testóides e são os esteróides anabólicos originais. São precursores de todos os estrógenos, os hormônios sexuais femininos. O primeiro e mais bem conhecido andrógeno é a testosterona.

A falta e diminuição dos andrógenos causa depressão, irritabilidade, falta de energia, e dificuldades sexuais. No homem, não existe uma mudança abrupta relacionada com a idade na fisiologia reprodutora, como acontece com as mulheres em que o “climatério” é consequência da cessação do funcionamento ovariano. O homem experimenta conflitos psico-fisiológicos que afetam a sua sexualidade, em consequência da perda de força muscular dos músculos ejaculadores, afetando os níveis de andrógenos que necessitam de estímulos sexuais para serem produzidos.

O funcionamento sexual feminino durante os anos da menopausa é extremamente variável e depende do estado psíquico geral da mulher, mas as mulheres idosas conservam a capacidade de gozar orgasmos múltiplos. Estudos indicam que 25% das mulheres de 70 anos ainda se masturbam, mas muitas mulheres cessam de ter relações sexuais entre os 50 e os 60 anos. Esta abstinência é influenciada, principalmente, por fatores sociais e psicológicos. Quando as mulheres idosas perdem seus parceiros, em geral não tendem a procurar substitutos.

As mudanças no trofismo muscular (tônus dos músculos sexuais) são mais profundas nas mulheres do que nos homens, causados pelo súbito declínio de estrogênio e progesterona. Essas mudanças físicas, entretanto, não impedem a produção de orgasmos, ao contrário dos homens, que necessitam de uma condição trófica muscular a ponto de permitir a ereção peniana, sua sustentação pelo tempo adequado e também pela condição da perda de tônus nos músculos ejaculadores.

Os trabalhos oferecidos no Espaço Gaya atuam sobre o tônus muscular de todos os músculos sexuais e estimulam a produção dos hormônios responsáveis pelas respostas sexuais de homens e mulheres. São especialmente recomendados para homens e mulheres com idade superior aos 45 anos, como uma forma de amenizar a diminuição dos hormônios que afetam a libido, o bem-estar e o equilíbrio geral do corpo.

Tantra é o conhecimento mais profundo que existe sobre a energia sexual, a energia vital. Seu uso correto é responsável pela beleza, juventude e atração entre os sexos.

Anúncios